ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    BIO    OBRA    CRÍTICA 
MILTON NASCIMENTO

Milton nasceu no dia 26 de outubro de 1942, filho de Maria do Carmo, que falece quando ele tem menos de dois anos. Passou a viver com sua avó em Juiz de Fora, mas não se adapta. A professora de música Lilia Silva Campos, filha de sua madrinha, recém casada com Josino Campos, dono de uma estaçao de rádio, resolve adotá-lo. Milton muda-se com a nova família para Três Pontas (MG), e lá, aos treze anos, começa a cantar em festas e bailes, iniciando uma carreira de sucesso.

Desde cedo tem consciência de sua voz extraordinária. Na adolescência, forma o conjunto Luar de Prata com Wagner Tiso, cuja mãe lhe dá as primeiras noções de piano. Trabalha na Rádio Três Pontas como DJ, locutor e diretor. Com Wagner e seus outros irmãos - Walter, Wilson e Wanderley – forma o grupo W’s Boys. Muda-se para Belo Horizonte em 1963 para estudar Economia. Lá, começa tocando na banda Berimbau Trio, ainda com Tiso, e torna-se amigo de Lô Borges e de Beto Guedes e dos poetas Marcio Borges e Fernando Brant, que marcariam o início dos anos 70 com o exuberante Clube da Esquina.
Em 1966, muda-se para Sâo Paulo e conhece Elis Regina, que grava a sua primeira música, Canção do Sal. No mesmo ano, participa do Festival Nacional da Música Popular da TV Excelsior, em São Paulo, com Cidade Vazia, classificada em quarto lugar.

Em 1967, no II Festival Internacional da Canção, ganhou o prêmio de melhor intérprete por Travessia (parceria com Fernando Brant). A seguir, excursionou pelos Estados Unidos, onde gravou Courage (1968). Ao voltar, lançou o álbum duplo Clube da Esquina (1972) e um de seus maiores sucessos nacionais, Milagre dos Peixes (1974), um disco com orquestra. Seguiram-se, entre outros, Native Dancer (1975), Minas (1975), Geraes (1976), Clube de Esquina nº 2 (1978), Yauaretê (1990), Txai (1990), Angelus (1993), Amigos (1995) e Crooner (1999).

Conquistou o o Grammy, em 1998, com o álbum Nascimento. Foi agraciado com a Ordem Rio Branco, a Medalha da Inconfidência e a Medalha Alferes Tiradentes. Recebeu as chaves da cidade de Nova York, foi feito Cavalheiro das Artes e das Letras da República Francesa. Participa da Aliança dos Povos da Floresta, da Anistia Internacional, da Fondation France Liberté e atua junto ao Greenpeace.

O estilo musical de Milton reune MPB, jazz, rock, pitadas de música híspano-americana de Mercedes Sosa, Violeta Parra e Victor Jarra, sons caribenhos de Pablo Milanez e Silvio Rodrigues, além de cantos folclóricos de Minas Gerais e outros estados brasileiros. Como ele mesmo define, sua música, em virtude do sincretismo de estilos, é world music.

Em 2008 Milton se juntou ao Jobim Trio em um novo projeto musical que homenageia a Bossa Nova. Lançaram um álbum “Novas Bossas” com 14 músicas compostas por importantes nomes da música nacional como Tom Jobim, Vinicius de Moraes e Dorival Caymmi. O álbum foi produzido em três meses e gravado na própria casa de Milton.

Depois de se dedicar à turnê do álbum “Novas Bossas” e ao lançamento do disco gravado em Paris com os Irmãos Belmondo e a orquestra nacional Ille de France, Milton voltou aos palcos em junho de 2009 com show solo, apresentando novidades e grandes sucessos da carreira.