ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
LYGIA FAGUNDES TELLES

"Recentemente, estava eu a folhear alguns dos livros de Lygia Fagundes Telles que desde há muito me acompanham na vida, a afagar com os olhos páginas tantas vezes soberbas, quando me detive nessa verdadeira obra-prima que é o conto Pomba Enamorada. Reli-o uma vez mais, palavra a palavra, sílaba a sílaba, saboreando ao de leve a pungente amargura daquele mel, quase tocando com os dedos a lágrima subtil daquela ironia, e num instante luminoso pensei que talvez a "vizinha portuguesa", a mulher sem nome nem vulto que no conto prepara um reconstituinte (a menina está que é só osso!) à sofredora mas fiel apaixonada – talvez essa mulher, simplesmente por ser portuguesa e generosa, tivesse sido, sem que eu de tal me apercebesse na primeira vez que li a história, a causa primeira dessa espécie de "vizinhança"que desde então, isto é, desde sempre, me pôs a morar ao lado de Lygia."
José Saramago. Depoimento para a revista Cadernos de Literatura Brasileira.

"Nos contos de Lygia Fagundes Telles, a sensualidade cultivada pelo narrador obscurece o conhecimento que possa ter do mundo e favorece o conhecimento que venha a ter de si mesmo. Como tarefa proposta pela escrita, a dramatização da sensualidade torna o exercício literário pouco rentável para as indagações ditas metafísicas, questões sobre a essência dos seres, ou a condição do homem no planeta terra e sua situação na história. Torna o exercício literário mais propício para o melhor conhecimento das sucessivas percepções que abrem caminho e penetram com força e violência na mente humana. Acomodam-se na consciência do narrador, reordenando e aprimorando o insuficiente saber que ele e o leitor têm, que nós temos sobre as vontades e fraquezas do espírito humano."
In: SANTIAGO, Silviano. Cadernos de Literatura Brasileira, v.5