ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
ZUENIR VENTURA

"É muito bom o livro de Zuenir Ventura, 1968 – o ano que não terminou. O texto é cuidadíssimo, quem escreve sabe que aquilo que lá está foi escrito n vezes. É a melhor coisa que Zuenir já escreveu. E sua atitude au dessus de la melée, olímpica, digamos, dando a todos os participantes um tratamento objetivo, só engana gente não habituada a ler. Ou se preferirem, não acostumada a destrinchar subtextos. O efeito cumulativo dessa "objetividade" é devastador sobre os protagonistas. E aqui e ali, Zu não resistiu à ironia clara".
Paulo Francis, Caderno 2, Estado de São Paulo, 27/10/88