ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    CRÍTICA 
ZELITO VIANA

José Viana de Oliveira Paula nasceu em Fortaleza, Ceará, em 5 de maio de 1938. Integrante de uma família onde a vocação artística é uma constante – Zelito é irmão do humorista Chico Anísio e pai do ator Marcos Palmeira – veio para o Rio de Janeiro com 4 anos de idade. Na infância morou no bairro do Cosme Velho, freqüentava o Clube Fluminense e diariamente fazia um tour pelos cinemas, além de escutar os famosos programas de rádio da época. Mais tarde se tornaria cineasta, porém nessa época sonhava em ser maestro.

Em 1960 concluiu o curso de Engenharia Civil na Universidade Federal do Rio de Janeiro e seu primeiro emprego foi numa usina metalúrgica.

Com o golpe de 1964 perde esse emprego.

Sua primeira relação profissional com o cinema surgiu do contato com o colega de faculdade Leon Hirszman. Depois participou do movimento do Cinema Novo, formando com Glauber Rocha, Walter Lima Jr. e Paulo Cesar Saraceni a Mapa Filmes, em 1965. Nesse período tem forte atuação como produtor de cinema.

Em mais de 30 anos de carreira o cineasta fez 30 filmes e vários programas de tv.
Trabalhou na Embrafilme, na Globo Vídeo e no decorrer de sua carreira participou, como produtor ou como diretor, de filmes importantes para a história do cinema brasileiro, como Avaeté de 1984, com roteiro do próprio Zelito e de José Joffily e um elenco formado por Hugo Carvana, Renata Sorrah, José Dumont, Jonas Bloch, Sérgio Mamberti e José Mayer, dentre outros.

O filme narra a história do covarde e criminoso massacre da tribo dos Cintas Largas, no estado do Mato Grosso, em 1963. Massacre motivado pela existência em grande escala de madeiras nobres nas terras indígenas. Apenas dois índios sobreviveram e a CPI, instaurada depois da denúncia feita pelo cozinheiro da expedição genocida, não deu em nada.

Atualmente está concluindo um projeto ambicioso: a filmagem da vida do maestro e compositor Villa-Lobos, que traz seu filho no papel título.

Principais cargos que ocupou ao longo da carreira:
Sócio gerente da Mapa Filmes do Brasil, 1965
Diretor do Sindicato Nacional da Indústria Cinematográfica, 1969/73
Diretor da Associação Brasileira de Produtores Cinematográficos, 1969/73
Membro do Conselho Consultivo do Instituto Nacional de Cinema, 1971/73
Assessor da Diretoria Geral da Embrafilme, 1974/75
Presidente da Abraci.