ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    BIO    OBRA    CRÍTICA 
Z? ANDRADE

"Zé Andrade apareceu aqui na redação do Pasquim com uma caixa cheia de bonecos que qualquer um identificava: o povo brasileiro no seu desabrigo, na sua falta de esperança.
Tive uma idéia: pedi a ele para fazer uma caricatura em barro de Ulisses Guimarães, que era o nosso entrevistado da semana. Depois mandei fotografar o boneco em vários ângulos. O sucesso da ilustração foi tremendo. Zé, depois dessa, incorporou-se à patota, ficando como colaborador do jornal. Fez trabalho para O Globo, TV Globo, cinema, teatro e revistas paulistas. 28 anos, baiano de Ubaíra, cidade que praticamente foi destruída pelo desmatamento, pela poluição poluidora.
Esta é a sua quinta exposição. São 15 caricaturas e 35 figuras populares.
Riam com as caricaturas. Que as figuras que Zé Andrade retrata – nossa gente – acompanhem vocês com seu grito mudo: até quando este sofrimento será tolerado? Algo que atinge mais que as estatísticas e as palavras sobre a miséria que fere fundo.
Ouçam o grito deste verdadeiro intérprete do povo brasileiro."
Jaguar

Pequenos notáveis
"Recentemente, Zé produziu uma leva de 150 miniaturas de Dorival Caymmi. "Achei meu olho um pouco arregalado, mas adorei", diz Caymmi, que tem três exemplares. Outro dia, Zé esbarrou com o poeta Ferreira Gullar: "Você me faz melhor do que sou", escutou."
Monica Weinberg, Veja Rio, 21 de maio 1997