ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
GERALDO CARNEIRO

11 de junho de 1952 – nasce Geraldo Eduardo Ribeiro Carneiro, em Belo Horizonte, filho de Geraldo de Andrade Carneiro e Dulce Ribeiro Carneiro. Posteriormente, adota o nome literário Geraldo Carneiro, e o pseudônimo Gérard Éluard du Kar’Nehru.

1955 – muda-se com a família para o Rio de Janeiro.

1974 – publica Na busca de Sete-Estrelo.

1976 – faz palestras na Universidade de Paris, França, como poeta convidado.

1979 – é encenada sua peça Lola Moreno, escrita em parceria com Bráulio Pedroso.

1980 – publica Verão vagabundo.

1982 – é encenado seu texto Lola Moreno, escrito em parceria com Bráulio Pedroso. É encenada, também, a sua tradução de A Tempestade, de William Shakespeare.

1983 – são encenados seus textos Folias do Coração e Apenas Bons Amigos, ambos escritos em parceria com Miguel Falabella. É encenada, também, a sua tradução de A Tempestade, de William Shakespeare.

1984 – publica Vinicius de Moraes, a fala da paixão.

1985 – é encenada a sua adaptação de As You Like It, de Wiliam Shakespeare. Escreve as minisséries Tudo em Cima, exibida neste mesmo ano.

1986 – são encenados seus textos Divina Increnca e A Bandeira dos Cinco Mil Réis. É publicada a sua adaptação de As You Like It, de Wiliam Shakespeare, nos Cadernos do Tablado.

1987 – adapta para teatro a obra Lúcia McCartney, de Rubem Fonseca.

1988 – é encenada sua ópera perfomática Manu Çaruê, com música de Wagner Tiso. Publica Piquenique em Xanadu, pelo qual recebe o Prêmio Lei Sarney. Recebe, também, o Troféu Ana Cristina César (melhor livro de poesia).

1989 – adapta para teatro a obra Lulu, de Frank Wedekind.

1991 – adapta As 1001 noites, para teatro. É publicada a sua tradução de A Tempestade, de Wiliam Shakespeare. Adapta para televisão O Sorriso do Lagarto, romance homônimo de João Ubaldo Ribeiro, exibida neste mesmo ano.

1992 – é encenado seu texto Imaginária. Participa, como autor convidado, do II Encontro Internacional de Poesia, na Universidade de Roma, Itália.

1993 – publica Pandemônio.

1995 – publica Folias metafísicas.

1996 – publica Leblon: crônica dos anos loucos.

1998 – atualmente, escreve crônicas semanais para o jornal O Dia e uma minissérie inspirada na vida de Chiquinha Gonzaga.