ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    EXCERTO     
GIL VICENTE

1958 – nasce em 20 de abril, em Recife, Pernambuco, Gil Vicente Vasconcelos de Oliveira, filho de Lauro de Oliveira e Marilda Vasconcelos de Oliveira. De família culta – seu avô era escritor e crítico literário, a mãe poeta e o pai leitor de filosofia – o artista foi batizado com o nome do escritor português.

1972/77 – estuda diversas técnicas de desenho, pintura e gravura na Escolinha de Arte do Recife, sob a orientação de Tereza Carmem Diniz, e gravura em metal com José de Barros.

1974/77 – estuda desenho e pintura de observação nos ateliers de extensão do Centro de Artes da UFPE, orientado por Isidro Queralt Pratt.

1975 – 1º Prêmio no Salão dos Novos. Museu de Arte Contemporânea, Olinda

1976 – conclui o segundo grau escolar e dedica-se, desde então, exclusivamente às artes plásticas.

1977 – 1º Prêmio Pintura. Salão Oficial de Arte. Museu do Estado, Recife

1978 – participa, com outros artistas, da fundação da Oficina Guaianases de Gravura (hoje integrada ao Centro de Artes da UFPE), onde produz litografias até 1992. Recebe o Prêmio Desenho do Salão Oficial de Arte. Museu do Estado, Recife.

1981 – recebe Bolsa do Governo Francês para estudos na Escola de Belas Artes de Paris, no atelier de pintura do professor Yankel. Recebe o Prêmio MEC/FUNARTE do Salão de Artes Plásticas de Pernambuco. Museu do Estado, Recife.

1984/86 – pinta paisagens ao ar livre, semanalmente, com os artistas Gilvan Samico, Luciano Pinheiro e Guita Charifker. Recebe o Prêmio Desenho do Salão Arte Pará. Fundação Rômulo Maiorana, Belém.

1986/87 – realiza retratos, em pintura e desenho, de diversos amigos artistas.

1988 – integra a equipe que idealiza e edita o Jornal Edição de Arte, tablóide mensal sobre artes plásticas, publicado e distribuído profissionalmente durante nove meses.

1989 – viaja aos Estados Unidos, a convite do Governo Americano, para conhecer artistas, instituições e escolas, em diversas cidades, e o funcionamento do circuito de arte americano.

1989/93 – participa do Atelier Coletivo, em Olinda, junto com outros artistas profissionais, onde faz xilogravura sob a orientação de Gilvan Samico.