ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
ELISA LUCINDA

O Semelhante

"O Tempo Esse Cuidadoso Alfaiate, Assíduo Guardador Dos Nossos Melhores Segredos, Sabe O Enredo Da História E Não Lhe Conta Nada. Vai Soprando Tudo Aos Poucos e Muito Aos Pouquinhos, Faz Eu Lembrar Que
Meu Pai Já Foi Pequenininho."

"Ô Mãe, Aquele Vestido Azul Ficou Apertado Porque Cresci Sem Pedir Licença. Virei Mãe Dentro Dele E Poeta De Madrugada. Não Há Colos Nem Guaritas, Calor, Banana Frita...
Fomos Seguindo A Humanidade, Vacas Parideiras Por Detrás Do Universo E Tu No Meio Do Verso Bem Na Hora De Eu Virar Moderna!..."

"Abro As Pernas E Sinto O Cheiro Daquilo Que Não Me Disseste...
Mas O Poema Sempre Acaba Quando Me Desobedece
O Poema Sempre Acaba Quando Ele Termina."

"Há Acidentes E Derrotas, Só Não Há A Pior Morte É A Perda Da Rota"