ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
DOC COMPARATO

1949 – Luiz Felipe Loureiro Comparato, filho de Antônio Comparato e de Maria de Lourdes Loureiro Comparato, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 3 de novembro, na Casa de Saúde São Sebastião, no Catete. Nome artístico: Doc Comparato.

1965 – recebe a medalha de Excelência do 1º Científico do Externato São José, Rio de Janeiro.

1968 – passa em 1º lugar no vestibular para a Faculdade de Medicina da Universidade Federal Fluminense.

Anos 70 – sofre concussão cerebral devido um grave acidente automobilístico na estrada Rio-São Paulo. O traumatismo ocasiona perda parcial do couro cabeludo e ele fica calvo. Após residência em cardiologia no Hospital dos Servidores do Estado, ganha por concurso duas bolsas de estudos: uma para o México e outra para a Inglaterra. Opta pela inglesa (British Council) e vai viver em Londres. Mora em Hampstead por dois anos. Viver em Londres transforma a vida do jovem médico. Submete-se à psicanálise kleiniana e começa a escrever. Viaja pelo mundo. Vai da Suécia ao Egito. Conhece sua primeira mulher, a arquiteta Cecília Maria Neder Castro. Volta ao Brasil em 1978 e em três meses estréia como autor no Especial da TV Globo E agora, Marco?, com Yoná Magalhães no papel principal. Passa a escrever para o Pasquim e outros jornais. Em dois anos ganha o concurso de peças teatrais do antigo Serviço Nacional de Teatro e de Contos do Paraná, os mais importantes na época.

1978 – 3º lugar na categoria conto no 10º Concurso de Contos do Paraná.

1979 – Prêmio Leitura do Concurso de Peças, O beijo da louca, Serviço Nacional de Teatro.

1980 – casa-se com Cecilia e nasce sua primeira filha, Fabiana de Castro Comparato. É contratado da TV Globo, escreve Plantão de polícia e Malu mulher. Recebe o Prêmio Leitura do Concurso de Peças O testamento, Serviço Nacional de Teatro.

1982 – ganha a Medalha de Ouro do New York Film Festival pela minissérie Lampião e Maria Bonita. Viaja para os Estados Unidos a convite do governo americano. O livro Roteiro torna-se um bestseller. Recebe o Prêmio da Crítica de São Paulo como melhor autor (Associação Paulista de Críticos de Arte).

1982/1983 – Doc deixa definitivamente de clinicar.

1984 – Conhece a fonoaudióloga Leila de Souza Mendes. Recebe o Prêmio da Crítica, no Festival de TV de Monte Carlo pela adaptação para TV do livro Morte no paraíso de Alberto Diniz. Recebe ainda o prêmio de melhor argumento com o filme O cangaceiro trapalhão no Festival de Cinema de Tomar, Portugal.

1985 – nasce Bianca de Souza Mendes Comparato, filha de Leila e Doc. Eles passam a viver juntos. Doc trabalha regularmente no exterior e na Rede Globo, onde se torna um dos fundadores da Casa de Criação.

1986 – Prêmio Coral Negro, no Festival de Havana para a TV, com a minissérie O tempo e o vento.

1987 – não renova seu contrato com a Rede Globo para ir trabalhar em Cuba com Gabriel García Márquez, Prêmio Nobel de Literatura. Seguem-se vários trabalhos internacionais (1987/1988).

1989 – é contratado pela empresa Videoarte e vai morar em Sintra, Portugal. Mais precisamente na "Casa das Minas", residência onde Glauber Rocha viveu seus últimos meses de vida.

1990 – nasce Lorena de Souza Mendes Comparato, segunda filha do casal. Doc torna-se autor-roteirista free-lancer na Europa e a família se muda para a Casa do Cipreste, emblemática construção criada pelo famoso arquiteto Raul Lino em 1914.

1990/1996 – é nomeado coordenador e professor do Master de Roteiro e Dramaturgia da Universidade Autônoma de Barcelona e, por cinco anos, desenvolve vários trabalhos em inúmeros países.

1995 – recebe o Prêmio San Jordi da Academia de Letras Catalãs pelo roteiro de Arnau.

1996 – retorna ao Brasil e é recontratado pela Rede Globo.

1997 – é operado do coração pelo professor Waldir Jasbick. Em dezembro, Doc lança seu primeiro romance A guerra das imaginações pela editora Rocco, e mais uma edição ampliada e revisada do seu livro teórico Da criação ao roteiro.

1998 – A guerra das imaginações é comprada pela Editorial Planeta, uma das maiores do mundo, e o livro é lançado na Espanha, Portugal, Argentina, México e Chile. O autor viaja pelo Brasil e por diversos países para promover o seu romance. O autor passa a ser representado pela conhecida agente literária alemã Ray Güde Mertin. A guerra das imaginações é vendido para à Itália. Editora Ugo Guanda.