ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
CARLOS SCLIAR

"(...) Os artistas de São Paulo trabalham ativamente. Há na minha cidade um clima propício às artes desde a célebre semana de 1922. Os pintores, principalmente, estão realizando trabalhos interessantíssimos. Agora mesmo um menino gaúcho, jovem de 20 anos, acaba de inaugurar a sua exposição de pintura com um grande sucesso. Esse menino é uma vocação verdadeira".
Oswald de Andrade, 06/08/1940

Sobre Composição com Figuras

"Nudez e deserto. As formas humanas perdidas no deserto, descascadas como folhas ressequidas, flutuando em ritmo quase sempre político de criaturas órfãs do mundo. Scliar acaba não enxergando mais nada fora dessa fantasmagoria. Pintou com uma espécie de memória de pesadelo, estendendo um palco de ficção e nele distribuindo os seus fantasmas. O efeito mesmo quando terrível, não perde a sua inspiração lírica."
Rubem Navarra in: "Carlos Scliar 1938-1971: visão de vida". Roberto Pontual. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1970.

Sobre o quadro Assine o apelo da paz

"Quanta simplicidade! Que pureza de emoção! Ninguém se negará a assinar o apelo da paz. Sente-se o criador inteiro que impulsionou e isso aumenta a sua beleza plástica. Está aí um exemplo perfeito do papel da obra plástica com conteúdo político claro, singelo e forte"
Diego Rivera, 1953 in: "Carlos Scliar 1938-1971: visão de vida". Roberto Pontual. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1970.