ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
ARTUR DA T?VOLA

"Artur da Távola tem um dom raro: é encantatório. Ele diz exatamente o que se propõe a dizer e isto significa ser um bom escritor. Eu o admiro há tempos"
Clarice Lispector in: "Mevitevendo". Rio de Janeiro: Salamandra.

"Artur da Távola veio preencher uma lacuna... Ele tenta com decência, coragem e talento — muito talento, é um escritor de primeira ordem — influir para que a televisão desempenhe um papel positivo na vida brasileira."
Jorge Amado in: "Cada um no Meu Lugar: crônicas". Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

"Eis porque, numa linguagem que sabiamente não quer jamais ignorar o padrão médio ideal de seus leitores, Artur da Távola — a pretexto ou a reboque da televisão — borda crônicas de nossa angústia cotidiana, tirando de cada átomo de significância televisionária uma lição ou pensação que seguramente constitui, para cada um dos seus leitores, uma pausa reflexiva no turbilhão insensato do dia-a-dia."
Antonio Houaiss in: "Alguém que já não fui". Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.

"Esplêndido o Artur, tão aplaudido como o outro, o da Távola Redonda. Sou admirador dele e do seu jeito sempre renovado de dizer coisas importantes em linguagem de gente."
João Candido de Carvalho in: "Mevitevendo: crônicas". São Paulo: Salamandra, 1979.