ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
ARTUR DA T?VOLA

1936 — nasce em 3 de janeiro, na cidade do Rio de Janeiro, Paulo Alberto Moretzsohn Monteiro de Barros, que viria a adotar o pseudônimo de Artur da Távola, sob inspiração do Rei Artur, para que pudesse continuar escrevendo depois de seu retorno do exílio no Chile.

1956 — inicia sua carreira profissional no rádio. Uma antiga paixão, que já o acompanhava desde criança, é a música, e no rádio encontra a oportunidade de trabalhar com ela.

1957/1959 — torna-se produtor de programas educativos da Rádio Ministério da Educação e Cultura

1959 — assume a direção do jornal O Metropolitano.

1960 — dirige a Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos do INEP-MEC.

1960/1964 — é eleito Deputado Estadual (Constituinte), Rio de Janeiro/GB.

1961/1962 — participa da Comissão Especial encarregada da elaboração da Constituição do Estado da Guanabara, é autor do capítulo de Educação e Cultura.

1962 — reeleito Deputado da Assembléia Legislativa do Estado da Guanabara pelo PTB.

1964 — teve seu mandato cassado pelo AI-5.

1966/1968 — exilado no Chile, torna-se professor e vice-diretor da Escola de Periodismo da Universidade de Santiago, diretor de produção do Canal 9, da mesma universidade, e correspondente do jornal Correio da Manhã do Rio de Janeiro.

1968/1970 — de volta ao Brasil, assume a direção de "Mass Comunication" do jornal Última Hora, no Rio de Janeiro. Nessa época também atua como cronista do mesmo jornal; é quando surge a coluna Artur da Távola.

1968/1970 — produtor e diretor de documentários cinematográficos para Produções Cinematográficas Mapa Ltda e Filmes da Matriz.

1970 - a partir desse ano inicia sua colaboração nas seguintes publicações: Amiga, Fatos e Fotos, Gente, Manchete, Visão, Cultura (do MEC), Jornal Arte e Educação.

1972/1987 — após sair da Última Hora, torna-se cronista do jornal O Globo.

1973/1975 — diretor da primeira empresa produtora de videocassete do Brasil, a Lidervideo.

1974/1975 — leciona na Escola Superior de Propaganda e Marketing, no Rio de Janeiro.

1977/1978 — diretor do Núcleo de Revistas Amiga, Sétimo Céu, Carinho, Fatos e Fotos na Bloch Editores.

1980 — eleito 1º Vice-presidente da Associação Brasileira de Imprensa.

1982 — é candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro.

1987 — eleito Deputado Constituinte pelo PMDB-RJ, sendo o mais votado da bancada.

1987 — torna-se colunista diário do jornal O Dia, atividade que exerce até a presente data.

1988 — é um dos fundadores do PSDB.

1988 — candidato a prefeito do Rio de Janeiro pelo PSDB.

1989 — colunista diário do jornal A Cidade, Campos/RJ.

1989 — colunista diário do jornal Diário da Manhã, Goiânia/GO.

1989/1990 — vice-presidente da Comissão Especial encarregada de elaborar o Código do Menor e a respectiva legislação.

1990 — reeleito Deputado Federal pelo PSDB.

1991/1992 — membro da Comissão de Educação, Cultura e Desportos da Câmara dos Deputados.

1994 — eleito Senador da República pelo PSDB, mandato que expira em 2002.

1995 — assumiu a presidência do PSDB.

1995/1996 — membro das Comissões de Educação; Relações Exteriores e Defesa Nacional; Constituição, Justiça e Cidadania; Assuntos Sociais.

1997 — eleito presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desportos.