ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
ANA MIRANDA

Sobre o romance Amrik
Por José Castello, 1997

"(...) o registro reflexivo revela a riqueza das tonalidades da escrita de Ana Miranda em seu trabalho de recriação de épocas. Ao retratar a vida dos imigrantes na pequena província de São Paulo povoada de operários, fazendeiros, alunos da Academia de Direito, pequenos industriais e comerciantes, ela exerce mais uma vez seu poder encantatório de seduzir com as palavras."

"(...) A linguagem de Amrik está muito mais próxima das parábolas árabes e das narrativas fantásticas de As mil e uma noites que das pesquisas factuais. É sinuosa, tem um ritmo sôfrego e arrasta o leitor até o fim dentro de uma história que parece vazar do coração".


Sobre o romance Boca do Inferno

"Prepare-se o leitor para uma jóia rara, trabalhada em sua ourivesaria com devoção de monge, pesquisada com rigor de cientista, e brilhante em seus resultados como as mais finas pedrarias. Esta semana, chega às livrarias o romance Boca do Inferno, de autoria de Ana Miranda, uma cearense de 37 anos, radicada no Rio. Trata-se de acontecimento que, por múltiplas razões, merece ser comemorado."


Sobre o romance Desmundo
Por Wander Melo Miranda

"À diferença de seus romances anteriores, a trama do novo livro de Ana Miranda é, antes de mais nada, o drama da linguagem de quem narra buscando na selva dos signos a trilha de rotas e enredos alternativos. O desejo de algo que lhe escapa e foge torna-se a meta a ser atingida, algo que não consegue nunca alcançar e só se apreende, de passagem, na urgência de narrar."
In: Caderno Idéias do Jornal do Brasil