ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
SALGADO MARANH?O

José Salgado dos Santos, conhecido como Salgado Maranhão, nasceu no dia 13 de novembro de 1953, em Caxias, terceira maior cidade do Maranhão, com cerca de 150 mil habitantes, segundo censo de 2007. Ainda adolescente, muda-se com a mãe e irmãos para Teresina. Na cidade, escreve artigos para jornal e conhece Torquato Neto, poeta, jornalista e filho do promotor público da capital do Piauí. Torquato o incentiva a ir para o Rio de Janeiro, onde chega aos 19 anos, em 1972. Estuda Comunicação na PUC-Rio e, como terapeuta corporal, é professor de tai chi chuan e mestre em shiatsu.

Em 1977, em parceria com o cantor-composistor paraibano Vital Farias, escreve a música-tema da peça Curral das maravilhas, de Jonas Bloch. Dois anos depois, 1979, Vital Farias inclui em seu disco (LP), lançado pela gravadora PolyGram, quatro parcerias dos dois. Neste mesmo ano, Ney Matogrosso, em LP da PolyGram, grava Trapaças (parceria de Salgado Maranhão com Herman Torres).

No ano seguinte, Salgado participou da antologia Ebulição da escrivatura - Treze poetas impossíveis (Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 1978) coletânea que reune diversos poetas, como Sergio Natureza (assinando Sérgio Varela), Antônio Carlos Miguel (sob o pseudônimo de Antônio Caos), Éle Semog, Mário Atayde, Tetê Catalão, entre outros. Nessa época, também publica poemas e artigos na revista Encontro com a Civilização Brasileira (1978).

Nos anos seguintes, publica vários livros de poesia e continua compondo. Em 1981, Herman Torres inclui várias composições feitas em parceria com Salgado Maranhão no disco Herman Torres, lançado pela Polygram. Nesse mesmo ano, Zizi Possi interpreta Caminhos do sol (parceria com Herman Torres) que vira tema da novela A viagem, da Rede Globo. A música torna-se um sucesso na voz da cantora. No ano seguinte, Amelinha grava de sua autoria Choro da lua (com Herman Torres) e Trem da consciência (com Vital Farias).

Ainda na década de 1980, Elba Ramalho lança pela PolyGram o disco Tambor de crioula, cuja faixa-título foi composta por Salgado Maranhão em parceria Zé Américo. Elba Ramalho nos anos seguintes, grava várias parcerias da dupla Zé Américo / Salgado Maranhão, entre elas Olhos acesos, Calmaria e Ave cigana.

Em 1997, Ivan Lins interpreta Para alegrar coração de moça (parceria com Salgado) em disco da gravadora Velas. Em 1998, Salgado Maranhão ganha o prêmio da União Brasileira dos Escritores (UBE) pelo livro O beijo da fera. No ano seguinte, com o livro Mural de ventos, foi o vencedor do Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, na categoria Poesia, dividindo o prêmio com Haroldo de Campos e Geraldo Mello Mourão.

Entre as inúmeras composições que fez, constam gravações de Águas daqui, parceria com Moacyr Luz, gravada em 2002 por Juliana Amaral; Punhos da serpente e Mistura, ambas em parceria com Xangai e gravadas pelo parceiro em disco independente. Com Carlos Pita, outro parceiro, compôs mais três letras, todas gravadas por Pita.

Entre seus intérpretes encontram-se Gilberto Alves, Gerude, Naeno, Paulinho da Viola, o grupo O Terço, Ivan Lins, Luzia Santana, Juliana Amaral, Carlos Pita, Elton Medeiros, Zezé Gonzaga, Elba Ramalho, Rita Ribeiro, Selma Reis, Zé Renato e Alcione.

Tem mais de cinqüenta composições gravadas, feitas em parceria Carlos Pita, Elton Medeiros, Herman Torres, Ivan Lins, Mirabô Dantas, Moacyr Luz, Naeno, Paulinho da Viola, Rodney Mariano, Vital Farias, Wagner Guimarães, Xangai, Zé Américo, Zeca Baleiro, Naeno e composições ainda inéditas com Chico César, João Donato, Renato Piau, Tunai, entre outros.

Em 2005 publica Solo de gaveta, livreto com poemas inéditos acompanhado pelo CD Amorágio (parceria com Ivan Lins), no qual recita dois poemas, também inéditos. No disco estão incluídas várias composições inéditas e algumas de suas composições mais conhecidas em diversas participações especiais.

Em agosto de 2009, Salgado Maranhão, com o também poeta Geraldinho Carneiro, preparam um manifesto contra o “marasmo da poesia brasileira”, chamado “Os desmandamentos” lido num encontro no Teatro Clara Machado que reuniu atores, escritores e outros poetas.