ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
REGINA NAVARRO LINS

Sobre o livro Conversas na varanda
Por Luis Carlos Maciel

A coluna de Regina Navarro Lins no Jornal do Brasil é uma pequena revolução em nossa imprensa. Pela primeira vez, em nossos jornais, as questões mais decisivas relacionadas a amor e sexo passaram a ser consideradas numa perspectiva realista que efetivamente ultrapassa os limites das convenções e dos preconceitos tradicionais.
Para realizar a proeza, Regina contou com sua honestidade, sua franqueza e, acima de tudo, sua coragem — uma virtude que, aliás, ela parece valorizar acima de todas as outras. Sua opção ética é clara. Entre a felicidade concreta das pessoas e o moralismo abstrato que pretende governar suas vidas, ela deixa claro que escolheu trabalhar pela primeira. O que a interessa é o ser humano, com as exigências irrecusáveis de sua natureza, e não normas históricas e culturalmente condicionadas e, portanto, efêmeras.
Agora, uma seleção dos momentos mais agudos e esclarecedores de sua coluna são reunidos em livro, neste volume que o leitor tem nas mãos. Regina reflete sobre seus temas, entrevista personalidades e analisa casos específicos de sua experiência como psicanalista. A diversidade do material evidencia a unidade de seu pensamento e a conseqüência de seus temas na vida de todos nós. Não hesito em afirmar que se abre uma nova era, nessa discussão, graças à honestidade, à franqueza e à coragem de Regina Navarro Lins.

Amor e sexo na televisão
Por Luiz Carlos Maciel

Regina Navarro Lins é uma das colunistas mais interessantes, originais e importantes na imprensa brasileira de hoje. Ela chegou a essa posição, não só porque é inteligente, culta e escreve bem, mas, antes de mais nada, por causa de seu tema fundamental e da maneira como o trata. Regina discute amor e sexo de uma maneira inteiramente franca. Esta postura é surpreendente em nossos tempos atuais.

Sobre o livro Conversas na Varanda
Por Luiz Octávio de Lima Camargo

Há 50 anos, não se falava de sexo. Por medo, é claro. A verdade é que somente quando se passou a falar e a escrever sobre o assunto, ficamos sabendo que somos sexualmente subdesenvolvidos. Na maioria, sujeitos a problemas como os que cercam a ereção masculina e acabam inibindo o orgasmo feminino.

É uma conversa chata? Não se preocupe: este não é um resumo de Conversas na Varanda - Um Debate Leve e Provocante Sobre a Sexualidade Brasileira (Editora Rocco). É apenas um elogio ao talento de Regina Navarro Lins, que, como promete no subtítulo, garante uma conversa instigante. Experiente psicoterapeuta e colunista do Jornal do Brasil, ela compõe o livro em capítulos que abordam questões corriqueiras nas conversas cotidianas - sexo no casamento, sadomasoquismo, entre outros 45 temas. Como numa boa conversa de varanda, introduz o assunto de forma equilibrada, mostrando simpatia para com os nossos monstros. Depois, cede espaço para a opinião de pessoas assíduas na mídia, que ora informam (as civilizações hindu e chinesa inventaram modos bem melhores do que o nosso para gozar do sexo), ora nos mostram seus problemas (o que nos permite saber que as mazelas do sexo estão presentes em todos os meios sociais e culturais) e termina contando casos de sua clínica.

E que soluções se pode esperar? São múltiplas, como os problemas: um homem mais feminino, mais ligado às sensações; uma mulher mais dona de si, sabendo que nela reside até mesmo o poder de curar a insegurança do seu homem; um casamento menos ditado pelo mito do amor romântico e mais assentado na lealdade etc. Fica aqui uma questão, quem sabe para alimentar a pesquisa da autora: se já sabemos tudo o que devemos fazer, o que nos impede de começar? Divertido, como sexo
IN: Isto é gente, 10/01/2000