ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
MARINA COLASANTI

"(...) Numa época como a nossa em que o indivíduo se perde na multidão pelo seu desligamento da tradição e o abrandamento de sua memória, é necessário que se desenvolva um novo humanismo que associe as conquistas tecnológicas da modernidade às emoções mais profundas da humanidade. Este é o recado que Marina Colasanti nos dá, ao bordar tantos códigos culturais no tecido que é a sua escritura. Deste modo, está abrindo novos horizontes para o imaginário do leitor contemporâneo, trazendo-lhe uma mensagem de confiança e forçando-lhe a trabalhar com diversas possibilidades de significação que a pluralidade de códigos traz para descondicioná-lo da passividade da recepção. Levando o leitor a repensar a questão do gênero (masculino/feminino) através da releitura dos arquétipos cristalizados pelo gênero do conto de fada, que condicionou as emoções à normalização da vida, em função da perspectiva iluminista, Marina Colasanti apresenta-nos novos padrões comportamentais, para rever os códigos desta última fase da modernidade. Aliando o erudito ao popular, reintegra os fragmentos da vida, no diálogo do passado com o presente, sem dissociar o leitor adulto do infantil, na tentativa de construir um outra visão para a humanidade de hoje. (...)"
Gloria Pondé. O Papel da Fada no Imaginário do Leitor Infantil.