ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
MARINA COLASANTI

26 de setembro de 1937 - Nasce Marina Colasanti, filha de Manfredo Colasanti e Elisa Del Bono, em Asmara, Eritréia.

1948 - Aos 11 anos, transfere-se para o Brasil.

1952 - Começa estudos de pintura que a levariam a cursar a Escola Nacional de Belas Artes, e a especializar-se em gravura em metal. A atividade de artista plástica é retomada a partir de 1978, quando ilustra seu livro Uma idéia toda azul. A partir daí, ilustraria a quase totalidade de seus textos para jovens e crianças.

1962 - 1973 - desenvolve no Caderno B do Jornal do Brasil atividades de editora, secretária de texto, cronista, colunista e ilustradora. Nesse período inicia sua carreira literária, com a publicação do primeiro livro.

1968 - publica seu primeiro livro, Eu sozinha.

1977 - ingressa na revista Nova, onde permanece até 1991. Paralelamente, desenvolve atividades em televisão, como entrevistadora, redatora e apresentadora, em programas jornalísticos ou culturais. Entre eles, um programa de debates sobre cinema (Sábado Forte) e outro sobre cultura italiana (Imagens da Itália).

1979 -Recebe o prêmio "O melhor para o jovem" da FNLIJ pelo livro Uma idéia toda azul; recebe também o Grande Prêmio da Crítica Livro/ Autor em literatura infantil pela APCA.

1981 e 1987 -Realiza duas exposições individuais.

1985 - 1989 - Membro do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher. Dedica-se também à tradução.

1987 - Nomeada para o Conselho Consultivo no Paço Imperial.

1988 - Convidada a presidir a Associação dos Amigos da Escola de Artes Visuais do Parque Lage (AMEAV)

1991 -Indicação para o Prêmio Jabuti, Câmara Brasileira do Livro, pelo livro A mão na massa.

1992 -Menção especial Prêmio Genolino Amado (livro publicado de crônicas), UBE, pelo livro Intimidade Pública.

1993 -Recebe o prêmio "O melhor para jovem", FNLIJ, pelo livro Entre a Espada e a Rosa.

1993 -Prêmio Jabuti, Câmara Brasileira do Livro, pelo livro Entre a Espada e a Rosa.

1994 -Recebe o prêmio único no Concurso Latinoamericano de Cuentos para Niños, FUNCEF/UNICEF, em Costa Rica, pelo livro La muerte y el Rei. Recebe também dois Prêmios Jabuti, pelos livros Rota de Colisão e Ana Z, aonde vai você?.E o prêmio "O melhor para o jovem" com Ana Z, aonde vai você?. E ainda o Prêmio de Melhor Livro do Ano também por Ana Z, aonde vai você?.

1996 -Recebe o Prêmio Norma Fundalectura com Lejos como mi querer.

1998 - Trabalha na tradução do livro Il Gattopardo, de Tomasi di Lampedusa e escreve um novo livro para crianças.