ENCONTRO MARCADO    
VÍDEO    PERFIL    BIO    OBRA    EXCERTO    CRÍTICA 
AFFONSO ROMANO DE SANT'ANNA

Poesia
Canto e palavra. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1965.
Poesia sobre poesia. Rio de Janeiro: Imago, 1975.
A grande fala do índio guarani. São Paulo: Summus, 1978.
Que país é este?. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.
A catedral de Colônia. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.
A poesia possível (poesia reunida). Rio de Janeiro: Rocco, 1987.
A morte da baleia. Rio de Janeiro: Berlendis & Verdecchia, 1990.
O lado esquerdo do meu peito. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.
Epitáfio para o século XX(antologia). São Paulo: Ediouro, 1997.
Melhores poemas de Affonso Romano de Sant'Anna. São Paulo: Global.
A grande fala e a catedral de Colônia (ed. comemorativa). Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

Ensaio
O desemprego do poeta. Belo Horizonte: Impr. Universitária (UFMG), 1962.
Drummond, o "gauche" no tempo. Rio de Janeiro: Record, 1990.
Análise estrutural dos romances brasileiros. São Paulo: Ática.
Por um novo conceito de literatura brasileira. Rio de Janeiro: Eldorado, 1977.
Música popular e moderna poesia brasileira. Petrópolis: Vozes, 1977.
Emeric Marcier. Rio de Janeiro: Pinakoteke, 1983.
O canibalismo amoroso. Rio de Janeiro: Rocco, 1990.
Política e paixão. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.
Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 1985.
Como se faz literatura. Petrópolis: Vozes, 1985.
Agosto 1991: estávamos em Moscou (com Marina Colasanti). São Paulo: Melhoramentos, 1991.
O que aprendemos até agora?. São Luís: Edufitia, 1984.
O que aprendemos até agora?. Santa Catarina: Universidade Santa Catarina, 1994.
Barroco, alma do Brasil. Rio de Janeiro: Comunicação Máxima/Bradesco, 1997.

Crônica
A mulher madura. Rio de Janeiro: Rocco, 1996.
A raiz quadrada do absurdo. Rio de Janeiro: Rocco, 1989.
De que ri a Mona Lisa. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.
Fizemos bem em resistir (antologia). Rio de Janeiro: Rocco, 1994.
Mistérios gozosos. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.
Porta de colégio. São Paulo: Ática, 1995.
A vida por viver. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.
O homem que conheceu o amor. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

Edições no exterior
A catedral inconclusa. La cathédrale inachevée, Serge Bourjea, Français, 1994, Montreal, in: Liberté Brasilittéraire 211 vol:36.
Os desaparecidos (poesia). The Disappeared, Fred P. Ellison, English, 1984, New York, in: The journal of Literary Translation volume XII (p.214-217).
O outro verso do Brasil. Det andet vers i Brasilien, Jörgen Schmitt Jensen, Danish, 1986, in: Politiken (jornal).
Que país é este? (poema). What Kind of Nation is this?, Fred P. Ellison, English, 1985, Flórida, in: South Eastern: Latin Americanist vol. XXIX no 2-3 (p.1-7), University of Miami.
Que país é este? (poema), Hvad er det for et land, dette her?, Else Marie Vedel Pedersen, Danish, 1986, in: Gacela 2 Brasil Selskabet Danmark-LatinoAmerika Aarhus Universitet, (p.7-9).
Que país é este? (poema). Qu'est-ce c'est que ce pays? (ed. bilingue), Serge Bourjea, Français, 1992, Quebec, in: Confluences Littéraires Brésil-Quebec: les bases d’une comparaison (Collection L’Univers des Discours) Montréal: Bazac (p.12-25).
Os romanos do norte (poesia). Das Rom des Nordens, Vwe Schmelter, German, 1980, in: Beispielsweise Köln Bornheim-Merten Lamuv, (p.150-152).
A imaginária. English, 1993, New York, Tropical paths: essays on modern Brazilian Literature. Edited by Randal Johnson New York: Garland.